Canoa Havaiana

Remadores se preparam para maior expedição de canoa da história do Brasil

Seis remadores vão partir no dia 27 de dezembro de canoa polinésia, similar à canoa havaiana, de Niterói, passarão pelo Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Ubatuba, Ilha Bela, São Sebastião, Guarujá e vão finalizar expedição em Santos no dia 8 de janeiro com mais de 430 km percorridos. Distância será a maior percorrida no país na modalidade e em maior número de dias.

As regiões do Rio de Janeiro e da baixada santista são os principais polos e berços do esporte que chegou ao país em 2000.

A expedição Anamauê, que tem o apoio da marca de suplementos Bearco Sports Progenes, tem previsão de saída na quarta-feira, dia 27 de dezembro na cidade de Niterói (RJ), na praia de Icaraí, com previsão de chegada em Santos (SP) no dia 8 de janeiro de 2018 com mais de 430 quilômetros percorridos em 12 dias.

A travessia será a maior em distância e em número de dias na modalidade.

Os remadores cruzarão o litoral do Rio de Janeiro, sul Fluminense, Norte Paulista e da Baixada em uma canoa polinésia modelo V6 para seis lugares e não utilizarão barco de apoio, levarão a própria subsistência como água, barra de cereais, suplementos alimentares entre outros.

A canoa polinésia é similar à canoa havaiana apenas com uma diferenciação no formato no estilo cockpit, mais arredondado.

Para essa façanha, nomes como o santista José Paulo, que lidera o clube Caiçara de Santos (SP), Douglas Moura (Puro Suco/Evoke/Jeewin Sports Care/Angelo Boechat Idiomas/Academia Niterói Swim/Raldrei Natividade Fisioterapia/Rpilates), fundador do Icarahy Canoa Clube, em Niterói (RJ), em Lucas Mio, líder do Ubatuba Hoe, em Ubatuba (SP), e Zé Paulo, fundador do Clube Caiçara, em Santos (SP), se juntam os remadores amigos Chico Viniegra, Ubajara Iakowsky e Caio Guerra, todos com grande experiência em provas de longas distâncias e travessias.

Douglas realizou em setembro a maior expedição de canoa havaiana individual em número de dias até então percorrendo Conceição de Jacareí (RJ) até Ubatuba (SP) em nove dias com mais de 160km percorridos. Ao término desta saga, Douglas iniciou o plnejamento com Lucas Mion para a realização deste desafio para a baixada santista.

“Quando decidimos, no inicio não passava de um sonho, que foi se materializando com o convite a nossos grandes irmãos e feras Chico, Ubajara e Caio. Nosso planejamento inicial era ir até Ubatuba, mas nos perguntamos porque não até Santos. Então abrangeríamos nossas três bases, Rio, Ubatuba e Santos com remadores experientes de cada uma delas e desde então, Santos passou a ser nosso destino ”, diz Douglas contando mais detalhes sobre o motivo da busca pelo recorde.

“A história desse trecho de navegação é extensa, são os dois maiores portos de cabotagem do Brasil, e alguns dos nossos ídolos no passado realizaram essa travessia em caiaques oceânicos, ídolos esses como a Simone Duarte, Rodrigo Magalhaes e Pedro Ceglia. Eles foram e são a nossa inspiração e temos certeza que estarão conosco em pensamento.” revela Jose Paulo.

“Vai ser extremamente duro. Nos maiores dias remaremos algo em torno de 60km, e nos menores dias 30km. Não e algo da noite para o dia, nem física nem psicologicamente. Certamente teremos momentos de pensarmos no que estamos fazendo ali. Mas a gente vai seguir, estamos determinados, nos preparando para estarmos no nosso auge na hora da chegada”.

Tanto a canoa havaiana como a polinésia datam de três mil anos atrás para deslocamento dos povos locais pelas ilhas polinésias e hoje são utilizadas tant para expedições como competições:

“A canoa polinésia tinha como principal função na antiguidade descobrir e explorar novas terras ou ilhas quando a que as tribos moravam acabava os recursos. Os guerreiros eram escolhidos e tinham a missão de achar um local seguro e que houvesse esses recursos essenciais para a vida. As grandes expedições são portanto a raiz da canoa polinésia, e cada vez mais temos um movimento no Brasil buscando essa raiz. E a gente vai fazer essa expedição nessa busca, eu, meus amigos e muito mar para cruzarmos.” salienta Lucas Mion.

“Como historiador, viver essa expedição vai além de apenas um desafio. Os locais que passaremos têm uma grande cultura caiçara de fabricação de canoas de árvores tais como os ancestrais das canoas polinésias. Será uma experiência singular para aprender e mostrar que as culturas caiçaras brasileiras e polinésias tem muito mais em comum do que possa parecer”, afirmou Caio que além de remador é historiador.

“Sairemos os 6 como uma equipe, como uma família. Respeitando o oceano, seguiremos no ritmo que ele nos permitir avançar de uma forma segura para que possamos chegar ainda mais amigos, ainda mais conectados aos oceanos, vivendo a canoa da forma que amamos, o verdadeiro e puro espirit a reao da canoa”, disse Ubirajara.

A equipe da Expedição Anamauê ainda busca mais patrocinadores e apoiadores para ajuda nos custos da mesma.

 

Programação da Expedição Anamaue Niterói-Santos:

27 Dezembro

Niterói-Barra da Tijuca-Guaratiba – 60km

28 Dezembro

Guaratiba – Marambaia-Palmas (Angra dos Reis) – 60km

29 Dezembro

Palmas – Aventureiro (Angra dos Reis) – 35km

30 Dezembro

Aventureiro (Angra dos Reis) – Martins de Sá (Paraty) – 33km

31 Dezembro

Martins de Sá (Paraty) – Promirim (Ubatuba) – 46km

1º de Janeiro

Descanso

2 Janeiro

Promirim (Ubatuba) – Ilha Ancheita (Ubatuba) – 22km

3 Janeiro

Ilha Ancheita (Ubatuba) – Iha do Tamanduá (Ubatuba) – 26km

4 Janeiro

Ilha do Tamanduá (Ubatuba) – Perequê (Ilha Bela) – 28km

5 Janeiro

Perequê – Paúba (São Sebastião) – 24km

6 Janeiro

Paúba – Ilha do Montão (São Sebastião) – 25km

7 Janeiro

Ilha do Montão – Praia Branca (Guarujá) – 40km

8 Janeiro

Praia Branca – Santos – 33km

 

Sobre Douglas Moura

– Formado em Administração com MBA em logística empresarial, Sócio-Fundador do Icarahy Clube de Canoa, ele é atleta do NTR e praticante de Canoa Havaiana desde 2005.

Em competição disputou provas como a Rio VA`A, Santo Amaro, Vendee VA`A (maior da europa e 2ª maior do mundo, na França), Vancouver Island Challenge (Canadá); Lotus VA`A Challenge.

Realizou seis expedições em canos havaianas individuais: Paraty Mirim – Trindade – primeiro a desbravar a rota; Paraty Mirim – Ubatuba – primeiro a desbravar a rota e até hoje ainda não foi feito novamente; circunavegação Ilha Grande; Niterói – Saquarema – único a fazer essa rota, Angra dos Reis – Aventureiro e diversas remadas menores pelas ilhas do Estado do Rio de Janeiro.

Organizador de sete expedições em grupo para as ilhas do Rio de Janeiro. É autor do “Canoa Havaiana com consciência”, cujo objetivo e conscientizar os atletas amadores e amantes do remo sobre a importância do conhecimento de regras para navegação segura. Autor de programas de Team Bulding usando a canoa como ferramenta – Empresas relevantes: GE; Adagio Hotel; Mercure Ipanema.

 

Sobre Zé Paulo

Natural de Santos (SP), tem 27 anos, é formado em Logística e Ed. Física e pratica a canoa desde 2005.

Tem participações em campeonatos Sul-Americanos (Brasil 2011, Argentina em 2012 e Peru em 2013).

É o presidente da Federação Paulista de Canoa Havaiana. É sócio e fundados do Clube Canoa Caiçara.

 

Sobre Francisco Viniegra

Natural do Rio de Janeiro, tem 37 anos . Arquiteto, é remador desde 2007 pelo Clube Praia Vermelha tendo participado de provas e travessias pelo Brasil, Peru, Ilha de Páscoa, no Chile, e Taiti.

 

Sobre Lucas Miom

Natural de São Vicente (SP) e radicado em Ubatuba (SP), tem 29 anos é bacharel em Ed. Física pela Universidade Federal de São Paulo. É instrutor de surfe, atleta e fudnador do Ubatuba Hoe, clube de canoa de Ubatuba.

 

Sobre Ubajara Barbosa

Natural de São Paulo (SP), tem 25 anos, é instrutor e atleta de canoa havaiana do Ubatuba Hoe, nadador de provas longas em piscina e mar aberto.

 

Sobe Caio Guerra

Natural de Santos (SP), tem 31 anos. Mestre em História pela Unicamp, professor da rede pública e praticante de canoa há três anos pelo Clube Caiçara.

 

Comentário

Comentário

About Renato Chaves

A Paddles nasce sobre influencia do estilo de vida e cultura do remo, do povo havaiano e de todo movimento que cerca esse universo. Stand Up Paddle, Va'a, Surfski, Canoagem e todos os esportes de remo traduzidos através de uma nova marca. A Paddles é o novo Mundo Sup. Criamos um portal que vende estilo de vida e cultura através do remo, mas também podemos ser uma marca de esportes de remo que oferece conteúdo. Você escolhe. Consuma tudo o que Paddles oferece, estilo de vida e cultura.